Deputado diz na Assembleia que quem foi torturado no governo militar ‘mereceu’

O deputado estadual Ricardo Arruda (PSL) afirmou, em discurso na tribuna da Assembleia Legislativa, na sessão da última segunda-feira, que quem foi torturado no governo militar pós-64 no Brasil “mereceu”. A declaração foi dada em comentário sobre discurso do deputado Goura (PDT) sobre o golpe que depôs o presidente João Goulart e resultou em um regime militar de 21 anos.

“Nunca houve ditadura em nosso País. Quem inventou isso foi a esquerda. No Brasil houve um regime militar a pedido do povo”, alegou Arruda. “Os únicos que dizem que foram torturados foi que mereceu (sic) ser torturado, que eram guerrilheiros, terroristas, que explodiam bancos, saqueavam, roubavam. Esses mereciam sim, E eu acho que foi pouco ainda”, afirmou.

O deputado Tadeu Veneri (PT) rebateu Arruda, acusando o parlamentar de ser “covarde”.
“Deputado que diz que não houve ditadura deveria ser torturado pra saber o que é tortura. É uma vergonha, deputado Arruda, o que o senhor fala naquela tribuna, porque o senhor nunca teve coragem de enfrentar a ditadura. Sempre foi cômodo, arrumadinho, encostadinho, calminho e aí faz o papel de herói na tribuna. Nós conhecemos estudantes que foram mortos, posteriormente, inclusive em Londrina”, disse Veneri. “Nós não podemos aceitar que a tribuna sirva para que façamos apologia à tortura”, afirmou.