Pinhais vai ganhar Centro de Referência em Direitos Humanos

O município terá papel de articulador regional, atendendo outros quatro municípios

centro-referencia

Na próxima semana começa a funcionar o Centro de Referência em Direitos Humanos em Pinhais – CRDH. O equipamento é um espaço de orientação, apoio e formação, uma “Casa de Direitos”, que visa contribuir para o fortalecimento e exercício pleno da cidadania, por meio de ações voltadas para a promoção, defesa e efetivação dos direitos humanos.

 

Segundo a Coordenadora Institucional do CRDH, Gisele Cassano, o equipamento terá o papel de articulador regional. “Nós atenderemos a população residente em Pinhais, Piraquara, Colombo, São José dos Pinhais e Quatro Barras, com direitos violados ou risco de violação, que sofram qualquer forma de preconceito, discriminação, intolerância, desrespeito, maus tratos, violência ou abandono”, reforçou Gisele.

 

O equipamento é fruto de um convênio com o Governo Federal, através da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República. A equipe que atuará no CDHR é formada por advogados, assistentes sociais e psicólogos, que implementarão ações de promoção aos direitos humanos. Serão oferecidos cursos de capacitação, oficinas, trabalhos com a comunidade, com foco na humanização, à transformação social e à emancipação do cidadão.

 

O Centro de Referência dos Direitos Humanos de Pinhais funcionará na Rua Primeiro de Maio, 428 – Centro, e será inaugurado na próxima terça-feira, 29, às 10h30.

 

Principais Serviços

 

– Informações sobre direitos e serviços; disseminação de informações junto à população sobre seus direitos e deveres enquanto cidadão.

 

– Atendimento jurídico, social e psicológico.

 

– Capacitação em direitos humanos: consiste na formação e capacitação em Direitos Humanos e Cidadania de lideranças locais, agentes públicos e estudantes, capacitando-as como “agentes de cidadania”.

 

– mediação de conflitos: consiste na busca de soluções pacíficas como forma de resolução dos conflitos, com o objetivo de obter um acordo satisfatório entre as partes.

 

– articulação: consiste na articulação dos diversos atores públicos e dos movimentos sociais na construção de uma rede que permitirá trocas de experiências e conhecimentos.

 

Público Alvo

 

População em situação de vulnerabilidade social e econômica, com direitos violados ou risco de violação, em especial, crianças e adolescentes, idosos,  catadores, lideranças comunitárias e movimentos sociais, beneficiários de programas sociais, mulheres vítimas de violência que sofram qualquer forma de preconceito, discriminação, intolerância, desrespeito, abusos e maus tratos, negligência, abandono ou violência.

 

Fonte: Prefeitura Municipa de Pinhais

e

Policia Militar de Pinhais

 

Deixe uma resposta