Redes Sociais!

greve-professores

No último dia 07 de março, o SINDEDUC/Pinhais, sindicato que representa todos(as) trabalhadores de Educação Pública Municipal de Pinhais, realizou uma assembleia extraordinária para que a categoria deliberasse sobre a convocação de greve nacional, emitida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores da Educação (CNTE) e com a plenária lotada o Presidente do SINDEDUC/Pinhais, Geovane Santos da Silva, falou sobre a situação legal do sindicato.

O Presidente fez um breve resgate histórico do movimento sindical no Brasil e, em seguida, leu um parecer do Tribunal de Justiça do Paraná pautado em decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), que se refere à desnecessidade de carta sindical para a atuação de um sindicato. Reforçou que o SINDEDUC/Pinhais está com toda a documentação legalizada, logo, a entidade é legal, sim, ao contrário do que tem dito a atual administração municipal de Pinhais.

Ainda de acordo com Geovane, o que dá legitimidade ao SINDEDUC/Pinhais é quantidade significativa de filiados, pois para ele, um sindicato que tem pouco mais de um ano de fundação, já contar com quase 70% do funcionários da educação associados à entidade, é a prova do reconhecimento da categoria.

A assembleia dos educadores de Pinhais contou com a participação do diretor da CNTE/APP Sindicato, o Sr. José Valdevino de Morais, também participaram da assembleia, o diretor da Secretaria de Assuntos Municipais da APP Sindicato, Sr. Edilson Aparecido de Paula e a Diretora da Secretaria de Política Sindical APP Sindicato e também diretora da CUT-PR, Sra. Isabel Catarina Zöllner. Essas entidades estarão envolvidas na greve nacional, portanto, a paralização não ocorrerá de forma isolada, pois na pauta principal estão reivindicações de caráter nacional, estadual e municipal.

Durante o debate realizado na assembleia dos educadores de Pinhais, um dos principais motivos alegados pela categoria para aderir ao movimento é a falta de condições dignas de trabalho, com salas de aula lotadas, um plano de Cargos e Carreira que não privilegia a merecida valorização, entre outros.

Os trabalhadores decidiram por unanimidade aderir a um dia de paralisação, o qual ocorrerá no dia 17 de março de 2014. A concentração será às 9 horas da manhã, em frente à Câmara Municipal de Pinhais, de onde seguem em marcha até a Prefeitura para entregar uma carta contendo as reivindicações da categoria, ao Prefeito de Pinhais, Luizão Goularte, do PT. A carta será assinada pelas três entidades CNTE, APP SINDICATO E SINDEDUC/PINHAIS.

Fonte: SINDEDUC/PINHAIS
sindeducpinhais@gmail.com

Redes Sociais!